Tento ser gente a cada minuto

0
3

Tenho uma vida cheia. Cheia de alegria, cheia de trabalho, cheia de determinação e cheia de sonhos. Como pisciana, vivo achando que sou só espírito. Muita gente me pergunta se é necessário mesmo acordar cedo para aulas de Yoga e meditação. Pois é. Só fazendo meditação é que consigo fazer tantas coisas ao mesmo tempo. Duas coisas me levaram até a Índia, até as escrituras sagradas védicas que iniciaram os estudos do Yoga. Uma foi a alegria de viver e a outra foi o sentido da doação. Nunca senti falta de uma religião, porque sempre fui religiosa. Sempre acreditei na força da humanidade e na luz que vem do universo. Mas, aquela pergunta sobre o sentido da vida (de onde viemos, para onde vamos, o que estou fazendo aqui?), nunca calou.

Na filosofia Vaisnava, encontrei a reflexão sobre o controle dos sentidos e a consciência espiritual. O corpo é apenas morada do saber. Dos princípios básicos levamos o desapego. Nada é nosso e nada, a não ser nossa alma, terá um caminho. Não existe perda efetiva, fim e separação. Carro, casa, coisas, pessoas, tudo tem seu lugar e não significa que não são importantes, mas não nos apegamos a respostas.

Você já percebeu como temos a tendência de nos apegarmos, até aos problemas? Passamos dias e noites pensando naquela coisa ou naquela pessoa que fez isso ou aquilo. A paciência e a doação nos livram desta aflição. É só pensar que o sentido não está em nada físico, nada que conseguimos pegar e levar para casa. O importante é ser otimista e acreditar que dando o melhor de si para o mundo, para o próximo e para o espírito, encontramos a felicidade. Não existe outro objetivo na vida que não o de buscar a felicidade.

Meu pai sempre diz: “O amor não tem ação sobre si mesmo”. Por isso temos que amar fazendo alguma coisa, dedicando tempo e sono para objetivos mais íntegros e serenos. Nessa mística, o primeiro é a doação e o segundo a oblação. Quem é espiritualizado já ouviu a palavra oblação que significa oferecer qualquer coisa a Deus, portando doando nossa própria energia encurtamos o caminho e não precisamos fazer promessas religiosas por aí . Com um pouco de humildade, diminuímos os desejos desenfreados e construímos desejos mais próximos da nossa realidade.

Eu tento todos os dias com a ajuda do amor que emana das pessoas que estão perto, ser gente a cada minuto.

Se você gostou e quer receber mais conteúdos como esse, cadastre-se em www.idhl.com.br

*Texto postado no meu antigo blog em 09/01/2012.

Comentários

commentários