Saiba a melhor maneira de colocar um orçamento em prática

0
17

Flávio Ítavo ensina a melhor maneira de colocar um orçamento em prática

Ele dá a receita do bolo: um planejamento bem trabalhado, responsabilidades delegadas e acompanhamento assíduo não podem faltar para que os objetivos de um orçamento sejam alcançados.

Fonte: Flávio Ítavo

Flávio Ítavo, especialista em turnaround, já falou anteriormente sobre com construir um orçamento (clique aqui) e, agora, ensina a colocar o planejamento em prática para atingir os objetivos traçados. Ele lembra: “todo orçamento é um plano e deve ser bem concebido para que seja mais fácil de executar. É importante ter mecanismos de “feed back” e acompanhamento bem colocados, antes de forçar a implantação de qualquer plano”. Ele dá o passo a passo para tirar o orçamento do papel e não ter tantas surpresas durante o processo:

1. Cada objetivo principal deve ter um “dono”, para que alguém se ocupe das tarefas que levarão até ele. Ele dá exemplo: “se o objetivo é atingir 10% de crescimento na base de clientes, cada um dos responsáveis pela área comercial tem que ter um objetivo parcial e eles, somados, tem que dar exatamente o número desejado”. Segundo Flávio, os “pratos” têm que ser muito bem equilibrados: “algumas manobras, como extrapolar os números individuais levando a um resultado superior ao seu objetivo para evitar perdas, podem levar a um efeito colchão e à acomodação do time”

2. Estabeleça uma linha de acompanhamento tão frequente quanto possível, mas que não tome tempo de trabalho a ponto de atrapalhar os resultados. “Eu costumo ter reuniões diárias com aqueles líderes que possuem objetivos que podem ser acompanhados diariamente. Os outros devem ser acompanhados à medida em que se possui KPIs (key performance indicators) que possam ser acompanhados”, explica o especialista.

3. Coloque pressão na medida certa. Flávio enfatiza a importância de cobrar conforme a capacidade de retorno de uma área ou time: “todos aqueles que não estão cumprindo seu objetivo devem ter sua frequência de feedbacks aumentados até que apresentem resultados compatíveis ao planejado. Se isto significar uma reunião e uma chamada no final do dia, todos os dias, assim será. O importante é que cada encarregado de objetivo tenha o acompanhamento e a pressão dosada de acordo com a entrega”.

4. Delegue tudo o que for possível, mas lembre-se que delegar não é esquecer ou abandonar. “Todos os que receberam responsabilidades devem estar devidamente preparados para exercer a função, caso contrário, a culpa pela não execução será sua e não dele”, lembra ele.

5. Trace planos de recuperação dos objetivos que não estão sendo atingidos, com o mesmo direcionamento usado para fazer o orçamento inicial. Flávio é taxativo: “não é porque um plano não está surtindo o efeito necessário que devemos abandonar o bom senso ou nossa capacidade de projetar adequadamente”.

 

Saiba mais:

Flávio Ítavo | flavioitavo.com.br | [email protected]

 

Comentários

commentários