Leandro Martins de Almeida – NANOBOTS, SUPER-HUMANOS E O FIM DA HUMANIDADE

0
29

Pode parecer algo saído de um filme de ficção científica, mas os robôs que substituem os humanos em todos os setores não são tão improváveis ​​quanto se possa imaginar explica Leandro Martins de Almeida. Já vimos grandes saltos no uso de IA em vários campos, incluindo o da medicina. De nano-robôs a cirurgia assistida por robô, não há como negar o fato de que existe a possibilidade.

NANOBOTS ARTIFICIALMENTE INTELIGENTES E SAÚDE HUMANA:

Nanobots Artificialmente Inteligentes e Saúde Humana
Nanobots Artificialmente Inteligentes e Saúde Humana

Nas próximas duas décadas, é como se as nano-máquinas artificialmente inteligentes fossem implantadas nos seres humanos para reparar e melhorar os músculos, os ossos e até as células de nossos corpos. Isso está de acordo com um investidor sênior do IBM Hursley Innovation Center.

Esses minúsculos robôs são tão pequenos que cabem no diâmetro de um único fio de cabelo humano – mas não se deixe enganar pelo fato de que eles não podem fazer muito. Estudos comprovaram que esses nanorrobôs são capazes de matar células cancerosas em um minuto; Este foi o resultado depois que eles foram “perfurados” em áreas afetadas pelo câncer.

Mesmo agora, os experimentos estão sendo conduzidos continuamente e podem mais tarde passar para testes clínicos envolvendo seres humanos. É raio de esperança para aqueles que sofrem de câncer.

 

COM TUDO ISSO EM MENTE, ISSO FAZ A PERGUNTA:

Esses nanorrobôs podem ajudar a tornar habilidades super-humanas possíveis? Há quem diga que sim, certamente pode. Não só o potencial pode ajudar a criar força sobre-humana nas pessoas, elas podem até chegar a nos ajudar a desenvolver a telecinesia ou a capacidade de controlar as coisas com nossas mentes.

Leandro Martins de Almeida mostra que é uma noção maluca, mas há algumas evidências para confirmar isso.

Nós todos sabemos que o uso de nano-maquinas AI, uma vez implantadas no corpo humano, pode trazer benefícios surpreendentes à saúde e à medicina. Eles serão capazes de reparar órgãos danificados de um nível celular que é muito menos invasivo em comparação com os métodos que temos hoje. Esses nanorrobôs também podem reparar células danificadas e, possivelmente, aumentá-las de alguma forma.

Tudo isso em 20 anos, conforme relatado por John McNamara, do IBM Hursley Innovation Center. Em uma evidência que ele apresentou à Câmara dos Lordes Artificial

Intelligence Committee, ele considera as implicações sociais, éticas e econômicas do uso da IA. Mas isso não é tudo – ele também menciona a possibilidade de humanos e máquinas serem incorporados um ao outro se a tecnologia de inteligência artificial melhorar dentro das próximas décadas.

Claro, é fácil romantizar a ideia – super-heróis correndo por aí, sem mais doenças, e pessoas morrendo apenas de causas naturais. É quase utópico, mas com isso vem o lado mais sombrio das coisas. A possibilidade de uma distopia. Veja, os humanos têm uma tendência a se tornar gananciosos e isso é especialmente verdade quando se trata de poder. Já vimos como a autoridade corrupta pode arruinar o estado das coisas, agora imagine as mesmas pessoas tendo habilidades sobre-humanas que podem torná-las invencíveis.

PREVISÕES SOMBRIAS DE STEPHEN HAWKING

Previsões sombrias de Stephen Hawking
Previsões sombrias de Stephen Hawking

Então há nossa tendência de nos tornarmos excessivamente dependentes de coisas que nos trazem conveniência diz Leonardo Martins de Almeida. Embora os super-humanos ainda não sejam mais do que um conceito, muitos de nós já estão se tornando dependentes dos benefícios da IA ​​e da tecnologia robótica. Leandro Martins de Almeida lembra também que até mesmo Stephen Hawking nos alertou sobre as possíveis implicações da inteligência artificial. Ele previu que os humanos podem começar a aceitar as escolhas feitas pelas máquinas como sendo melhores que as nossas.

Embora tenhamos alcançado muitos feitos incríveis por meio de avanços tecnológicos, Hawking argumenta que o que ganhamos pode, na verdade, estar completando nosso eventual fim. Ele propôs que a tecnologia “exagerada” pode realmente causar extinção maciça de espécies e até mesmo um aquecimento global insuportável. Ele sabia que a agressão está praticamente ligada aos genes das pessoas e que a tecnologia avançada basicamente adiciona “presas” a ela.

A destruição da raça humana por uma guerra biológica ou nuclear, diz ele, não pode ser descartada. E todos nós estamos bem cientes desse fato – vivemos em uma época e época em que isso se tornou um tópico real que muitas vezes somos cautelosos. Nós vimos isso nos noticiários e tivemos vários sustos nucleares nas últimas duas décadas. Escusado será dizer que é algo que muitas pessoas já temem.

A Inteligência Artificial é a melhor ou a pior coisa que já aconteceu para a humanidade, Hawking foi citado como tendo dito. Em 2050, espera-se que a AI realize muitas das tarefas intelectuais que os humanos têm lidado atualmente. Isso inclui:

A CAPACIDADE DE TRANSCREVER UM DISCURSO MAIS RÁPIDO E MELHOR QUE OS TRANSCRITORES PROFISSIONAIS

  • Reconhecer objetos em imagens
  • Traduzir de uma língua para outra com precisão
  • Navegando em um mapa do metrô de Londres
  • Escolhendo um único parágrafo de uma coleção de texto para responder a uma pergunta
  • Ser capaz de reconhecer a emoção de meras imagens de rostos
    Na verdade falo
  • Reconheça quaisquer emoções no discurso de uma pessoa
  • Voe sozinho por um drone
  • Navegue e dirija veículos por si mesmo (sem obstáculos pela distância)
  • Spot células cancerosas em lâminas de tecido com uma precisão que é melhor do que os seres humanos
  • Descubra novos usos para diferentes drogas
  • Analisar o código genético de amostras de DNA para detectar quaisquer condições genômicasResolva facilmente o estado quântico de muitas partículas diferentes rapidamente
  • Identificar retinopatia diabética que é conhecida por causar cegueira

Esses são apenas alguns exemplos e, com os avanços contínuos em tecnologia que estamos experimentando, quase parece que estamos entrando nesse futuro incerto mais rápido do que podemos realmente pensar sobre suas possíveis repercussões lembra Leandro Martins de Almeida. O progresso é ótimo. Isso nos mantém em movimento, nos mantém descobrindo coisas novas. Pode até mesmo nos ajudar a ser pessoas melhores – mas tudo isso tem um preço e, se não formos cuidadosos, o custo pode ser significativo.

Podemos começar com inovações inofensivas, como donas de casa ou vendedores de robôs. AI fazendo trabalhos servis que as pessoas prefeririam evitar. Os filmes nos condicionaram a ver esse conceito como aceitável e até cômico. Mas, assim como os avisos de Stephen Hawking, é um declive muito escorregadio que pode nos levar a ser excessivamente dependentes.

Então, pergunte a si mesmo, este é o futuro que você realmente quer ver acontecer? Ou você é, assim como muitas outras pessoas, com medo do que isso possa trazer?

Veja mais de Leandro Martins de Almeida:

https://www.youtube.com/watch?v=omITUgT2FLY

https://lista.mercadolivre.com.br/leandro-martins-de-almeida

https://www.amazon.com.br/Leandro-Martins-de-Almeida/s?k=Leandro+Martins+de+Almeida

https://pt.wikipedia.org/wiki/Usu%C3%A1rio(a)_Discuss%C3%A3o:Leandro_Martins_de_Almeida

Comentários

commentários