A importância do controle interno na gestão empresarial

0
26

Flávio Ítavo, especialista em turnaround, destaca a importância do controle interno para alcançar o sucesso na organização

Fonte: Flávio Ítavo

Não possuir controles sobre o negócio e o patrimônio é um pecado de gestão empresarial, aponta Flávio Ítavo. Os dirigentes da empresa precisam controlar todos os processos e operações, pois sem isso não há como gerir um negócio. Para isso, é fundamental ter uma estrutura com controles internos, que podem ser sofisticados ou simples, automatizados ou manuais, eventuais ou rotineiros. O importante é que os controles sejam adequados às necessidades de cada organização e em compasso com os riscos representado por cada operação.

Adequar os controles e os riscos fazem parte da adequação no controle interno. “Há empresas que estarão bem controladas com um pequeno conjunto de controles, junto a uma equipe pequena de controladores ou funcionários destinados a essa função; enquanto outras estarão em falta com as suas necessidades mesmo possuindo uma grande controladoria, auditores internos e externos, consultorias de segurança interna e de sistemas”, exemplifica Ítavo.

O especialista acrescenta ainda que bancos são bons exemplos de empresas que precisam de excelentes controles e controladores internos. A natureza da operação, assim como a magnitude das operações, leva a instituição a manter “verdadeiros exércitos de controllers, fiscais e auditores” para acompanharem as operações. Flávio detalha que um conjunto de regras e controles são chamados de “ambiente de controle interno”. Ele se cria ao longo do tempo e em compasso com o crescimento da empresa, dependendo fundamentalmente da cultura que o permeia. Ele é a consciência de controle da empresa, e envolve competências técnicas e éticas.

A falta de ética é um dos indicadores de ambiente de controle interno fraco ou inadequado. A postura da alta administração é parte fundamental desse conjunto de controles, pois cabe a ela deixar claro quais políticas devem ser seguidas, quais procedimentos, código de ética e comportamentos devem ser adotados. Neste caso, documentação e formalização dos controles internos fazem parte das últimas etapas do processo de construção do ambiente de controle interno, já que antes de tudo o controle precisa existir e ser executado adequadamente.

Saiba mais:
Flávio Ítavo | flavioitavo.com.br | [email protected]

Comentários

commentários