Especialista em recuperação de empresas dá dicas para criar objetivos claros e eficazes e aumentar a produtividade

0
35

Para Flávio Ítavo, 30 anos de expertise em Turnaround, o primeiro passo para construir um plano estratégico é ter objetivos claros. Confira algumas dicas para iniciar o processo de forma assertiva e ter um 2018 ainda mais produtivo.

Fonte: Flávio Ítavo

“Para construir um planejamento estratégico eficaz, o primeiro passo é o estabelecimento de objetivos”. A frase é de Flávio Ítavo, especialista em Turnaround e que já recuperou mais de 15 empresas. “Ao longo do tempo, por experiência própria e por ter visto muitas vezes nas empresas onde atuei, entendi que o ato de estabelecer objetivos e metas não é fácil. Infelizmente, muitos dos planos colocados no papel estão condenados à não execução, por falhas no estabelecimento dos objetivos”. Para Flávio, há três fatores essenciais na hora de estabelecer objetivos:

  1. Um objetivo precisa ser, antes de tudo, convincente. Sendo ele fácil ou difícil, o ponto chave é acreditar e conseguir convencer aqueles que estarão ao seu lado na execução: “quando começo um turnaround, não é fácil convencer a todos de que a coisa vai funcionar. Mas só podemos começar a trabalhar quando há certeza da explicação e do direcionamento para todos os que vão participar”
  2. Um objetivo precisa ser motivador. “Não dá para pedir para uma equipe ir para a guerra sem uma motivação. Melhor mesmo é ter várias”. Flávio lembra que o dinheiro é um dos motivadores que não falha, mas experiência, defesa do trabalho, valorização da equipe, bom clima e o desafio ao poder de reversão das expectativas também são motivadores poderosos.
  3. Um objetivo precisa ser alcançável e numericamente viável, dentro do conjunto de recursos que vai ser disponibilizado. “Um dos erros mais comuns, quase banal mesmo, é estabelecer objetivos de vendas crescentes sem fazer as contas do capital de giro necessário para o crescimento”, explica Flávio, que segue: “depois, o gestor descobre que tem objetivos e demanda para alcançar os objetivos, mas não tem mais linha de crédito para a compra de matéria prima. Neste momento começa a longa discussão entre o gestor e o board, sobre quem é o responsável pela falha. Este erro é clássico, recorrente e muito popular”.

Além desses 3 itens primordiais, Flávio cita outros que não são essenciais, mas podem ajudar e muito na hora de elencar objetivos mais assertivos:

  • Um objetivo deve ser distintivo ou motivo para que a empresa se destaque no mercado em que atua. “Um dos maiores objetivos globais de se fazer e seguir um objetivo estratégico é assegurar que sua empresa terá sucesso. Ter sucesso é se distinguir no meio de todos. Estabeleça objetivos para sua empresa que assegurem isto”, afirma o especialista.
  • Um objetivo deve ser duradouro. Sejam eles objetivos subjetivos ou muito objetivos e até mesmo financeiros, deveriam ser buscados com alguma persistência”, explica Ítavo, pois só assim há ganhos crescentes.
  • Um objetivo tem que ser proporcionalmente válido. “Não espere que seus soldados partam para o sacrifício se isto não vai ser reconhecido adequadamente. Lembre-se mais uma vez, dinheiro é importante, mas não é tudo nesta questão. É impressionante o que uma foto no jornal da empresa, ou mesmo um artigo na revista especializada de sua área podem fazer”, finaliza.

 

Saiba mais:

Flávio Ítavo | flavioitavo.com.br | [email protected]

Comentários

commentários