Belvedere explica sobre investimentos em tecnologia

0
28

Belvedere Investimentos cria área especializada em investimentos em tecnologia. Investimentos em tecnologia apresentam alto potencial de retorno.

Com crescimento acima de 100% em 2018 e administrando mais de 4 bilhões de reais de seus clientes, a Belvedere Investimentos, uma das gestoras de recursos que mais cresce no Brasil, acaba de criar uma área especializada em tecnologia. “Observando o mercado, percebemos que os investidores já entenderam a necessidade de investir no setor de tecnologia em seus diversos estágios e inclusive na bolsa.

As famílias sabem que é aí o futuro dos investimentos, apesar de maiores riscos, o setor é onde tem o maior potencial de retorno. Porém muitos não sabem como investir neste segmento, e estamos aqui preparados para assessora-los declara Julio Lage, CEO do grupo Belvedere, sediado nos Estados Unidos.

 

Riscos mais altos, mas com alto potencial de retorno

O alto potencial de retorno é o um dos atrativos para investimentos em empresas de tecnologia, por ser muito maior que em companhias de setores tradicionais. Uma vez que fazer investimentos em tecnologia ainda é um desafio, o investidor tem que ser compensado para valer o alto grau de risco e incertezas. Os valuations são analisados de forma diferente e muitas das empresas, apesar de carregarem pesados prejuízos durante muito tempo, tem suas ações super valorizadas. O determinante é o fato de carregarem custo menores em relação a ativos tradicionais e alto potencial de rentabilidade. O efeito de escalabilidade também é considerado, pois estas tecnologias têm alto potencial de reproduzir-se em outros mercados e em outros países, mesmo com baixa presença física.

 

É necessário entender os vários momentos dos investimentos no setor tais como startup (momento inicial), os diversos estágios de um venture capital, um pré IPO, onde algumas destas empresas já começam a comercializar suas ações, o IPO onde as empresas vão a bolsa e todo o movimento posterior de comportamento das ações. A análise e entendimento deste setor, é um dos diferenciais que a Belvedere Investimentos se propõe a oferecer tanto no Brasil quanto em seus escritórios no exterior.

 

Além da gestão do dinheiro da família nos investimentos tradicionais, é responsabilidade de um family office estar apto a acompanhar novas tendências de investimentos. “O setor de tecnologia é uma dessas ondas e, definitivamente, veio para ficar. Os clientes das companhias desse segmento têm perfil mais jovem, os chamados “millennials”, cujo comportamento é diferenciado do público tradicional. No século 21, serão a maioria da população, e são eles que estão criando tendências e mudarão a forma de pensar e a alocação de seus recursos. Estamos alinhados às necessidades das famílias, e ter um foco especial para o setor, nos posiciona a estar preparados para essas mudanças”, ressalta Lage.

 

 

O mercado de ações de empresas de tecnologia

Nos Estados Unidos, a principal bolsa de negociação do mercado de tecnologia é a Nasdaq. Cerca de 3.300 empresas são listadas neste mercado. A demanda aumentou por parte de investidores para o setor de tecnologia, o que resultou no forte crescimento nas novas emissões de ações. Somente nos Estados Unidos, são 155 IPOs em 2018, um aumento de quase 50% em relação a 2017, com US $ 39,7 bilhões captados, um incremento em valor de mais de 60%. IPOs recentes incluem Spotify (SPOT), Dropbox (DBX), Sonos (SONO) e Tilray (TLRY).

 

Empresas brasileiras, como PagUOL, Arco Educação e Stone, souberam aproveitar o momento de alta demanda dos investidores internacionais para o setor de tecnologia e foram à bolsa captar recursos no exterior. No Brasil há também um caso de sucesso: a captação do Banco Inter em abril deste ano.

 

Quem são os líderes de tecnologia nas bolsas do exterior?

Na bolsa no exterior, quem são os ganhadores no setor de tecnologia de 2018:

Empresa Retorno no ano
Advanced Micro Devices/ AMD 88.5%
TripAdvisor/ TRIP 70.2%
Fortinet/ FTNT 55.6%
Red Hat/ RHT 45.8%
Motorola Solutions/ MSI 37.7%
Netflix/ NFLX 34.8%
VeriSign/ VRSN 31.4%
Twitter/ TWTR 29.6%
Xilinx/ XLNX 29.4%
Adobe/ ADBE 28.3%

 

Todos querem virar uma FAANG

Diversas empresas de tecnologia almejam virar uma FAANG, sigla criada para as cinco ações de tecnologia mais populares e de maior valor de capitalização mercado: Facebook, Apple, Amazon, Netflix e Google. A FAANG nasceu da sigla original, FANG, que não incluía a Apple. Essas empresas conseguiram um forte crescimento desde que foram criadas, atingiram independência financeira, geraram alto retorno para seus investidores e hoje distribuem gordos dividendos.

 

Pontos positivos do Brasil

O Brasil apresenta fatores importantes para o desenvolvimento do setor de tecnologia, como o tamanho do mercado, a criatividade de seus empreendedores e a forte capacidade técnica de seus técnicos e os programadores. A parte regulatória é outro ponto positivo, e recentemente, com aprovação pelo Banco Central de normativos específicos para empresas do setor, as chamadas Fintech, o Brasil se destacou ainda mais positivamente em relação a diversos países. Lage aponta que “com a posse do presidente do Brasil recém-eleito e de seu time de ministros com perfis mais liberais e pro-mercado, a tendência é que a interação com diversos países de ponta no setor aumente, gerando e contribuindo com diversos investimentos. Temos que definitivamente ser uma liderança mundial no setor e a esta oportunidade pode estar próxima”.

 

 

Sobre a Belvedere Investimentos

Belvedere Investimentos é parte do Grupo Belvedere, criado em 2014, é uma partnership de profissionais oriundos de diversas instituições financeiras de primeira linha. No Brasil, a área de gestão de recursos é capitaneada pelo ex-BTG Luis Miranda. O grupo, que tem sede nos Estados Unidos, e operações em Portugal e Brasil, é uma holding de participações no setor financeiro atuando em wealth management, investment banking, corretora de valores e gestora de recursos (asset management).

 

No Brasil, a Belvedere Investimentos é uma gestora de recursos que possui escritórios em cinco capitais brasileiras: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Vitória e Recife. Com o objetivo de administrar investimentos de seus clientes no mercado financeiro no Brasil ou no exterior, é voltada a quem busca gestão de investimentos líquidos e ilíquidos, passivo ou ativo. Atualmente, administra 4 bilhões de reais de seus clientes. Sua operação no território brasileiro representa cerca de 40% das receitas da operação do Grupo. Segundo a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (ANBIMA), a Belvedere é uma das gestoras de recursos que mais cresce no país.

 

Contatos – Belvedere Investimentos

Site: http://www.belvinvest.com.br/

E-mail: [email protected]

Telefone: (11) 3168-9660

Comentários

commentários