A grande virada

0
4

Como todo mundo tenho meus altos e baixos e também me pego esquecendo de fazer a grande virada.

E ainda tem a frase de sempre que serve como promessa de ano novo: VOU MUDAR DE VIDA.

Quantas vezes ouvimos numa conversa ou outra, alguém que mudou de vida.

Já ouvi casos de professoras de yoga que cansaram da vida tranquila e se tornaram grandes executivas e já ouvi casos de grandes executivos que se cansaram e montaram uma pequena pousada numa praia qualquer.
Pois é. Neste mundo líquido, tudo se transforma rapidamente.

Zygmunt Bauman, sociólogo polonês, define vida líquida, como uma sociedade em que as condições sob as quais agem seus membros mudam num tempo mais curto do que o necessário para a consolidação, em hábitos e rotinas, das formas de agir. A liquidez da vida e da sociedade se alimentam e se revigoram mutuamente. A vida líquida, assim como a sociedade, não pode manter a forma ou permanecer em seu curso por muito tempo. A vida líquida é uma sucessão de reinícios, e precisamente por isso é que os finais rápidos e indolores, sem os quais reiniciar seria inimaginável, tendem a ser os momentos mais desafiadores e as dores de cabeça mais inquietantes.

Entre as artes da vida líquido-moderna e as habilidades necessárias para praticá-las, livrar-se das coisas tem prioridade sobre adquiri-las.
Estou falando isso porque, acredito que a arte de olhar o tempo, que agenda nossos compromissos, está intimamente ligado ao tempo de nossas almas.

Não sugiro tentar frear o consumo que bate em minha porta diariamente ou na sua, mas sim para buscar algo que no dia-a-dia não mais consegue enxergar ou fazer caber em sua agenda cotidiana.

Quero propor a você, o costume de ouvir de volta à sua rotina. Quero que tenha o sossego da noite, da pestana da tarde, do lanche sem compromisso, do ver por ver sem ter que ter. Quero que veja a arte pela arte, da música pela música, da amizade pela amizade.

Olhe a ampulheta da vida como quem olha a janela da vida. Não tenha pressa.

A única certeza que temos dela, é que ela é finita. Portanto, faça do seu tempo a sua melhor estada no planeta.

Feliz 2018 e que a gente se encontre entre cafés, chás, gargalhadas e profundas transformações. Uma linda e longa virada de vida!

Comentários

commentários