Trisoft avisa: é possível fazer dinheiro do lixo 

Trisoft avisa: é possível fazer dinheiro do lixo 


Para a Trisoft, nem deveria existir a palavra lixo: a empresa utiliza material reciclado e gera produtos 100% recicláveis para mais de 97 segmentos da indústria, incentivando um mercado verde, sem uso de água no processo produtivo e sem resíduos, ou seja, lixo zero.

Trisoft avisa: é possível fazer dinheiro do lixo Segundo Maurício Cohab, Diretor da Trisoft, a maior fabricante de itens com lã de PET da América Latina, os empresários não sabem o que estão perdendo ao deixar de apostar no lixo: “não existe lixo, existe matéria prima de qualidade sendo descartada, não utilizada e que, ao invés de gerar renda e lucro, está enfeiando as ruas e entupindo canais, causando danos à população”, enfatiza o empresário. Maurício apostou, muito antes de virar moda, em um produto reciclado e 100% reciclável, que hoje se traduz em inúmeras aplicações e atende mais de 97 segmentos da indústria.

Segundo a Abrelpe – Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais -, entre 2003 e 2014 a geração de resíduos sólidos nas cidades brasileiras foi 23% pontos percentuais acima do crescimento da população. “Nós estamos deliberadamente fazendo mais lixo, e é preciso uma mobilização geral para mudar essa realidade”, enfatiza Maurício. Para isso, a Trisoft atua apostando em um processo produtivo limpo, sem água e em produtos reciclados e 100% recicláveis e que permitem aderir à logística reversa. Veja como:

Como a Trisoft aproveita o lixo como matéria prima?

Utilizando como única matéria prima a lã de PET, que vem de empresas que tratam o PET comprado de cooperativas de catadores, que por sua vez, retiram as garrafas das ruas. A Trisoft já utilizou mais de 1 bilhão de garrafas PET retiradas do meio ambiente.

Como a Trisoft ajuda a eliminar o lixo?

Gerando produtos que não serão descartados, mas sim, reaproveitados de forma integral: colchões, estofados, paredes de Dry wall, revestimentos de tratamento termo acústico, palmilhas para o setor calçadista, produtos para o setor hoteleiro e automobilístico, só para citar alguns exemplos.

No Brasil, a obrigatoriedade da logística reversa só acontece com produtos considerados perigosos, como pneus, pilhas e baterias, lâmpadas fluorescentes etc. Em 2015, foi firmado o Acordo Setorial para a Logística Reversa de Embalagens em Geral, entre Governo Federal e representantes do setor empresarial e dos catadores de materiais recicláveis, que assumiram o compromisso de cumprir metas anuais progressivas de reciclagem destas embalagens. “Ainda é muito pouco”, reflete Maurício, “é preciso muito mais, é possível fazer muito mais. O lixo é, na verdade, uma riqueza adormecida”. Com suas iniciativas, a Trisoft mostrou que não só dá para fazer um produto reciclado e 100% reciclável, com zero água no processo produtivo, como ele ainda é mais saudável, mais apropriado para o mercado atual e com muito mais qualidade: “o que nós queremos é mostrar que dá, sim, para apostar no uso da matéria prima reciclada e gerar riqueza e um futuro melhor para o país”, finaliza Maurício.

Sobre a Trisoft
A Trisoft é a maior empresa da América Latina em produção de itens com lã de PET. Atuando há mais 55 anos no mercado, com qualidade, seriedade e responsabilidade sócio ambiental, investe em tecnologia para o desenvolvimento de produtos, transformando a despoluição do planeta em matérias primas para fazer produtos que melhoram a vida das pessoas. Seu objetivo é revolucionar o mercado, promovendo sustentabilidade e a possibilidade cada vez maior das empresas aderirem à logística reversa.

Trisoft | +55 11 4143-7900 | www.trisoft.com.br | contato@trisoft.com.br