Tratamento acústico pode diminuir mortes e perda auditiva 

Tratamento acústico pode diminuir mortes e perda auditiva 


Muito barulho pode matar, sim! A OMS aponta que, a cada ano, mais de 210 mil pessoas morrem de ataque cardíaco provocado por barulhos acima de 50 decibéis. Em tempos de trânsito, construções por toda parte e celulares com fones de ouvido, o que pode ser feito? A trisoft aponta uma das soluções: tratamento acústico nas construções.

Tratamento acústico pode diminuir mortes e perda auditiva “Podemos começar apontando algo mais simples: o desconforto causado pelo som alto pode trazer males como baixa concentração, estresse e dores de cabeça. Muitas vezes, não associamos o som alto como causa, porque estamos acostumados a ele”, explica Maurício Cohab, Diretor da Trisoft, que oferece uma solução viável para o tratamento acústico das construções: o Isosoft, um produto reciclado e 100% reciclável, feito com lã de PET. Ele enfatiza: alguns ruídos corriqueiros para quem vive nas grandes cidades, como o barulho do trânsito, tubulações hidráulicas, bombas de piscinas, geradores, casas de máquinas de elevadores, ruídos de ar condicionado de hospitais, shopping centers, só para citar alguns, são destruidores da qualidade de vida.

O som pode causar problemas silenciosos, que não são detectados imediatamente: baixa concentração, aumento da pressão sanguínea, contração muscular, ansiedade e tensão, zumbido, cansaço, estresse e nervosismo, insônia e dor de cabeça, perda gradual da audição e redução dos reflexos motores, só para citar alguns. Segundo a OMS, mais de 210 mil casos de morte por ataque cardíaco por ano tem como causa sons acima de 50 decibéis.

Para Debora Barreto, arquiteta especialista em acústica, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Acústica – SOBRAC e conselheira-fundadora da Associação Brasileira para a Qualidade Acústica – ProAcústica, a questão do tratamento de ambientes, especialmente em grandes cidades, é urgente e de extrema importância: “o isolamento termo acústico melhora a saúde e a qualidade de vida, diminuindo ruídos e aumentando a sensação de bem-estar nos ambientes”. Ela também enfatiza a questão sustentável: “produtos que priorizam pela sustentabilidade estão sempre nas especificações dos projetos em que atuo”. Debora realiza cursos de curta duração com ênfase na acústica de ambientes específicos, levando também em consideração a questão sustentável: “sempre que possível utilizamos, inclusive nos cursos e projetos em que trabalhamos, a lã de PET como material base na absorção acústica”, revela a arquiteta.

Maior fabricante de itens confeccionados com lã de PET da América Latina e membro da Pro Acústica, a Trisoft tem know how suficiente para mostrar ao mercado a importância do isolamento termo acústico em construções residenciais e comerciais. “Nosso produto permite que inclusive obras já prontas possam receber tratamento acústico, melhorando a qualidade de vida de escritórios, fábricas e residências”, finaliza Maurício.

Selo de qualidade

Para atestar a sustentabilidade que confere ao produto final de seus clientes, a empresa acaba de lançar o Selo Trisoft, que traz o slogan “Tem Trisoft, melhor pro Planeta” e que vai homologar os clientes que estão aderindo a um conceito de produto sustentável e com responsabilidade sócio-ambiental, atendendo à nova demanda de produtos com necessidade de logística reversa.

Sobre a Trisoft
A Trisoft é a maior empresa da América Latina em produção de itens com lã de PET. Atuando há mais 55 anos no mercado, com qualidade, seriedade e responsabilidade sócio ambiental, investe em tecnologia para o desenvolvimento de produtos, transformando a despoluição do planeta em matérias primas para fazer produtos que melhoram a vida das pessoas. Seu objetivo é revolucionar o mercado, promovendo sustentabilidade e a possibilidade cada vez maior das empresas aderirem à logística reversa.

 

Trisoft | +55 11 4143-7900 | www.trisoft.com.br | contato@trisoft.com.br