A auto crueldade

A auto crueldade


De todas as violências que sofremos, as que cometemos com mais frequência são as que cometemos contra nós mesmos.

Nessa violência, esta crueldade, não se derrama sangue, mas se derrama dor e com isso se constroem paredes, e atitudes limites que passam a nos sufocar por dentro.

Atitudes limitantes são martelos incessantes em nossa alma e sem dúvida a mais dissimulada de todas as agressões. Ela vem enfeitada de falsas virtudes, aplausos de pessoas e mesmo assim continua internamente delimitando e esmagando brutalmente nossa alma.

Algumas pessoas buscam sempre a admiração e aceitação dos outros numa tentativa incessante de calar as atitudes limitantes que calam também suas almas. Buscam constantes elogios, colecionam reverências e títulos inúteis, sorrisos marcados e ainda assim não sabem o preço que pagam por isso. Vivem distantes de si mesmas.

A auto crueldade só pode ser combatida, com amor a si mesmo e a declaração interna que é necessário fazer diferente do que sempre fez, para que seja respeitado pelo que é e não pelo espelho que se carrega.

A alma pode ser sim o reflexo mais sincero do que somos.

Seja. Simplesmente, seja.

Texto postado no meu antigo blog em 02/12/2009